Amadou Ba-Sy reforça o Vizela como segundo reforço de janeiro

  1. Amadou Ba-Sy é o novo reforço do FC Vizela
  2. O extremo francês assinou um contrato válido por duas épocas e meia
  3. Ba-Sy chega ao clube proveniente do USL Dunkerque
  4. A contratação de Ba-Sy visa preencher a vaga deixada pela saída de Iker Unzueta

O FC Vizela continua a reforçar o seu plantel durante a janela de transferências de janeiro. Após a contratação de Jota Gonçalves, o clube anunciou a chegada do extremo francês Amadou Ba-Sy, proveniente do USL Dunkerque. Com apenas 22 anos, Ba-Sy já passou pelos exames médicos e assinou um contrato válido por duas épocas e meia, demonstrando o compromisso e confiança que o clube depositou nele.

A contratação de Ba-Sy visa preencher a vaga deixada em aberto pela saída de Iker Unzueta, que foi emprestado ao Amorebieta, da segunda Liga espanhola. O extremo francês espera fazer a diferença no FC Vizela e contribuir para o sucesso da equipa.

Ao ser apresentado como reforço do clube, Ba-Sy expressou o seu orgulho e honra em juntar-se à família do FC Vizela e manifestou a sua ambição em alcançar grandes feitos junto com a equipa.

Com a chegada de Amadou Ba-Sy, o FC Vizela reforça o seu setor ofensivo e promete continuar a lutar pelos seus objetivos na competição.

Nova lei de imigração: o impacto para os clubes portugueses

  1. Mudança na Lei da Imigração afeta inscrição de atletas estrangeiros em Portugal
  2. Novo governo extinguiu processo de manifestação de interesse que facilitava entrada de jogadores
  3. Prazos para obtenção de vistos são incompatíveis com mercado de transferências
  4. Clubes correm risco de ter jogadores contratados mas não inscritos a tempo
  5. Impacto afeta modalidades além do futebol, com basquetebol e hóquei em patins especialmente preocupados

Novo regime de vistos cria dificuldades para clubes portugueses

  1. Nova legislação de imigração torna o processo de inscrição de atletas estrangeiros muito mais moroso
  2. Prazo médio de 3-4 meses para pedidos de vistos, incompatível com mercado de transferências de 2 meses
  3. Clubes correm risco de não conseguir inscrever jogadores a tempo
  4. Impacto negativo não se limita ao futebol, outras modalidades também enfrentam dificuldades