Sócios Benfiquistas Convocados para Assembleia Geral Extraordinária e Ordinária

  1. Assembleia Geral Extraordinária para discutir alteração dos Estatutos
  2. Assembleia Geral Ordinária para aprovar orçamento 2024/25
  3. Obrigatoriedade de aprovação do orçamento até 15 de Junho
  4. Incidente envolvendo ex-presidente Luís Filipe Vieira em 2019

Convocatória Surpreende Adeptos


Os sócios benfiquistas receberam com agrado a convocatória para duas importantes assembleias gerais no próximo sábado, dia 15 de Junho. A primeira será uma Assembleia Geral Extraordinária para discutir a prometida alteração dos Estatutos do clube, enquanto a segunda será uma Assembleia Geral Ordinária para debater o orçamento para a época 2024/25.


No entanto, a escolha da data não foi isenta de críticas, uma vez que o último sábado de uma semana com feriados é tradicionalmente quando os sócios aproveitam para agendar as suas férias. Ainda assim, acredita-se que o «atual momento vermelho e branco exige plena intensidade e ativismo», nas palavras do autor do texto, e que os sócios se irão mobilizar em massa para participar nestes dois momentos decisivos.

Alterações Estatutárias: Prazos e Condições


Uma das principais questões prende-se com as condições e prazos estabelecidos nos Estatutos do Clube para a alteração prometida pelo presidente Rui Costa. Segundo o texto, «a redação do n.º 1 do artigo 35.º e a alínea b) do n.º 2 do artigo 55.º dos Estatutos em vigor impõem a apreciação e votação sobre o orçamento anual até ao dia 15 de Junho de cada ano», o que torna esta Assembleia Geral Ordinária uma obrigação incontornável.


No entanto, o mesmo não se aplica à Assembleia Geral Extraordinária sobre as alterações estatutárias, cujo procedimento e prazos são menos claros. O autor questiona se «não teria sido mais prudente agendar uma assembleia geral desta envergadura para um dia isolado, com tempo e comunicação prévia suficientes», de modo a evitar constrangimentos e permitir que os sócios se inteirassem devidamente sobre o respetivo procedimento.

Transparência e Prestação de Contas


Outro ponto-chave destacado no texto prende-se com a aprovação das atas das assembleias anteriores. Segundo o autor, «contrariamente à transparência defendida ao longo da sua história, a mesa da Assembleia Geral do Sport Lisboa e Benfica deixou de proceder à aprovação das atas relacionadas com as anteriores assembleias realizadas desde o dia 27 de setembro de 2019», data em que ocorreu um incidente envolvendo o ex-presidente Luís Filipe Vieira.


O autor considera que «chegou a hora de se ouvir e confirmar os factos», apelando a que neste dia seja dado «um exemplo único de união invejável a nível global».

Apelo ao Associativismo


O texto termina com um apelo ao associativismo e à importância destes momentos de crise para «construir e cimentar a cultura interna» do Benfica. O autor considera que os sócios «lembrar-se-ão do que os líderes fazem por eles nestes momentos», pelo que espera que o presidente da mesa da assembleia geral aproveite esta oportunidade para «dar a entender a sua visão sobre o que pretende para este dia tão único e raro, apelar ao associativismo, pela participação ordeira de todos».

Conclusão


Em suma, a convocatória de duas assembleias gerais para o mesmo dia suscita algumas preocupações, nomeadamente em relação aos prazos e condições para a alteração estatutária e à transparência na prestação de contas. No entanto, o autor acredita que este é um momento crucial para o Benfica, em que os líderes têm a oportunidade de se destacar e unir os sócios em torno de um objetivo comum.