Ancelotti rejeita Novo Mundial de Clubes da FIFA

  1. Ancelotti rejeita novo formato do Mundial de Clubes da FIFA
  2. Torneio será disputado nos EUA em 2025
  3. Benfica e FC Porto já confirmados na competição
  4. Ancelotti: «FIFA pode esquecer, os clubes não participarão»

Carlo Ancelotti, treinador do Real Madrid, revelou que os merengues não pretendem participar no novo formato do Mundial de Clubes organizado pela FIFA. O torneio será disputado nos Estados Unidos da América, entre junho e julho de 2025, e Benfica e FC Porto já estão confirmados.

Em entrevista ao Il Giornale, o técnico italiano foi perentório: «A FIFA pode esquecer. Os jogadores e clubes não participarão nesse torneio. Um único jogo do Real Madrid vale 20 milhões de euros e a FIFA quer pagar-nos esse valor por todo o Mundial. Negativo. Tal como nós, outros clubes irão recusar o convite».

Momento atual do Real Madrid


Ancelotti, que conquistou recentemente mais uma Liga dos Campeões, falou sobre o momento que atravessa: «Continuo a viver a paixão, o jogo, o meu trabalho. Superei momentos complicados, depois da experiência no Everton saí do foco principal. Diziam que já estava velho, como em Nápoles.»

Questionado sobre o Real Madrid, o treinador italiano foi elogioso: «O Real Madrid é especial. O Milan está no meu coração, joguei lá, fui treinador, é uma grande parte da minha vida profissional. O Real Madrid é o Real Madrid, o que poderia ser melhor? Aqui há respeito pela história, todos os jogadores do passado estão presentes nas fotografias do centro de treino.»

Movimentações de jogadores


Sobre a saída de Toni Kroos, Ancelotti lamentou: «Infelizmente, Kroos decidiu parar e ele é muito alemão nas suas decisões. Mas vai continuar a viver em Madrid. Eu já lhe disse que, se ele mudar de posição no outono, com um telefonem resolvemos as coisas e que começaremos tudo de novo.»

Já Luka Modric vai jogar mais uma temporada, segundo o técnico italiano. O novo Mundial de Clubes, com 32 equipas, tem criado polémica devido à distribuição de prémios e direitos de televisão, com os clubes mais fortes a endurecerem o discurso, tal como fez Ancelotti em relação ao Real Madrid.