Alegações de Conspiração no Futebol: Entre a Realidade e a Imaginação

  1. Alegações de conspiração no futebol são comuns entre os adeptos mais fervorosos.
  2. As teorias incluem votações falsas, árbitros de má-fé, jornalistas a soldo e sorteios manipulados.
  3. Alguns acreditam que a coroação de Messi como The Best FIFA Player of the Year foi injusta.
  4. Acredita-se que árbitros estejam sempre condicionados e ajam de má-fé.
  5. Teorias de conspiração também envolvem jornalistas influenciados por clubes e interesses particulares.
  6. Suspeitas sobre sorteios de competições também são comuns.

Vistas sob um certo ângulo (mas muito específico), as pessoas que acreditam piamente em teorias da conspiração merecem o nosso respeito. Deve ser extremamente desgastante acordar de manhã a pensar que o mundo inteiro se uniu para tramá-las, sobretudo quando passa a fase da adolescência que Carlos Tê e Rui Veloso tão bem retrataram na cantiga Não Há Estrelas no Céu, já nos idos de 1990.

Virá isto a propósito da vitória de Donald Trump nas primárias republicanas do Iowa, na última segunda-feira? Claro que sim — é torturante pensar na possibilidade de a criatura voltar a liderar a maior potência mundial quando adormece a pensar em tartarugas de óculos grossos que se juntam às sextas-feiras em palácios no fundo do mar, intoxicadas de anfetaminas, para fazer raves, depois ao sábado cumprem rituais satânicos sacrificando peixinhos dourados e ao domingo, finalmente, se reúnem como verdadeiras executivas a urdir toda uma teia de influências sobre a Humanidade. Esquemas que por vezes, desconfiam os trumpianos, envolvem mesmo a interferência de forças extraterrestres sobre os nossos destinos.

Dir-me-ão que o homem já foi Presidente dos EUA e o mundo não acabou. Certo — mas ficou mais próximo disso, visto que as alterações climáticas, por exemplo, são invenção de cientistas perversos (e amigos das tartarugas, pelo menos alguns).

O mote é Trump, mas o pensamento rapidamente nos leva, solidariamente, a quem acha que no futebol tudo é decidido por entidades obscuras que, com as suas cruzetas, manobram a bel-prazer marionetas que mais não farão do que dar a cara publicamente.

Pela primeira vez concordo que a coroação de Messi como The Best FIFA Player of the Year é bastante injusta. Agora sim. Daí a achar que é uma cabala da FIFA vai um oceano do tamanho do raciocínio lógico. As votações são públicas e os critérios também.

Os árbitros, já se sabe, estão sempre condicionados e agem de má-fé. Sobretudo contra a equipa de cada um, sendo que, por isso, um mesmo árbitro pode ser acusado de ser deste clube e do seu contrário, e do contrário por este. Confuso? As mentes das conspirações também.

Os jornalistas, claro, estão a soldo deste ou daquele clube, deste ou daquele interesse particular, escrevem o que lhes mandam. Nomeadamente quando escrevem algo que não agrada a este clube ou ao clube contrário, consoante a cor do paciente.

Até os sorteios de competições, imagine-se, são alvo de suspeições. Sempre que este clube não tem o caminho mais fofinho rumo à eliminatória seguinte ou à final, tratou-se claramente de uma questão de bolas quentes e bolas frias para beneficiar o contrário. É difícil explicar a espíritos atormentados por tartarugas de óculos que nem sempre se tem sorte.

Há muito quem defenda que apanhar sol com frequência, fazer exercício fisico e ler pelo menos um livro por ano (desde que não seja algum sobre o Priorado de Sião) alivia os sintomas. Mas dificilmente curará a doença.

Gonçalo Inácio junta-se aos treinos do Sporting em Lagos

  1. Gonçalo Inácio, central de 22 anos, juntou-se ao plantel do Sporting em Lagos
  2. O grupo de trabalho dos leões no Algarve aumenta para 32 jogadores
  3. Rúben Amorim conta com Gonçalo Inácio para preparar a Supertaça frente ao FC Porto
  4. Gonçalo Inácio, formado no Sporting, tem sido uma referência da equipa